m o u n t a i n.....b i k e.....t e a m
b a r c e l o s.....p o r t u g a l
.
.
CALENDÁRIO DE ACTIVIDADES
.
.
.
.
raposasmbt@maisbarcelos.pt
.
.
.
.
.
.
.

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Raposas à mesa

Acta talvez número um

No dia vinte e três de fevereiro do ano de dois mil e sete, pelas vinte e uma horas, estavam reunidos na "Taberna do Afonso" em Poiares, oito dos doze elementos que compõem as "Raposas". À rebelia dos inexistentes estatutos e visto que estava representado quase todo o capital (!?) do grupo, decidiu-se efectuar uma assembleia geral extraordinária com a seguinte ordem de trabalhos:
- aplicação de sanções exemplares aos quatro elementos das "Raposas" que não estavam presentes na assembleia geral (Miguel "Raposa Mor", Jorge, Quinzé e Miguel Costa).

Na assembleia geral, presidida pelo Carlos Emigrante, e durante a ingestão de broa de milho e azeitonas caseiras, todos usaram da palavra ao mesmo tempo. A discussão do ponto único da ordem de trabalhos foi entretanto bruscamente interrompida pela colocação na mesa da assembleia de dois leitões, salada de alface, batatas fritas e algumas garrafas de espumante tinto bruto. Constatada a necessidade de retomar a ordem e bom funcionamento da assembleia, foi decidido, por vontade de todos os presentes, proceder à "limpeza" dos elementos alheios num espaço de tempo nunca inferior a duas horas.

Mais tarde, comidos "os três" (sobremesa da casa) e após uns cafés com "cheirinho manhoso", foi retomada a sessão e após exaustiva discussão (para aí dezassete segundos), foi deliberado o seguinte:
- realmente não tem jeito nenhum.

À margem da ordem de trabalhos foi também deliberado que não há mais Coca-Cola para o Francisco.

Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a sessão e posteriormente lavrada esta acta que não foi lida nem assinada por nenhum dos presentes nem por outra pessoa qualquer.

2007/02/28, Joca

terça-feira, fevereiro 20, 2007

Trilho dos Moinhos, 17/02/2007

A associação "Amigos da Montanha" prometeu e cumpriu como é seu apanágio. Muitas surpresas, excelentes trilhos, paisagem bonita e descidas memoráveis! Tudo isso aconteceu, principalmente as surpresas...

A Escola Secundária de Barcelinhos foi o local de partida e de chegada. Logo pelas 8 horas os "betetistas" começaram a aparecer, todos coloridos e cheios de vontade de pedalar. A partida prevista para as 9 horas aconteceu aproximadamente pelas 10 porque a chuva que se fazia sentir não facilitou a organização.

Adivinhava-se um passeio difícil, cheio de lama e terreno muito pesado. E foi isso que aconteceu, apesar dos trilhos seleccionados serem espectaculares e a paisagem super agradável, os cerca de 60 km do percurso principal ou os 47 km do percurso alternativo, foram muito duros e só com grande espiríto de sacrfício é que foram vencidos.

As Raposas estavam lá!!! e deram o seu melhor, como sempre. Fizeram-se representar pelos experientes betetistas Joca, Carlos Emigrante, Jorge e Quinzé, e ultrapassaram todas as barreiras impostas com relativa facilidade e muita bravura (como era de prever...). Habituados a estas andanças dedicaram a sua atenção a três estreantes, alunos da Escola EB 2, 3 de Manhente, apoiando-os permanentemente durante todo o percurso.

Com passagem inicial pelo monte da Franqueira e descida por trilhos completamente novos (estreia absoluta!), seguimos em direcção ao Monte de S.Félix, passando por locais de grande beleza rural e natural. A subida ao Monte de S.Félix foi o último esforço antes de um magnífico reforço alimentar, acompanhados pelos bonitos moinhos.

De regresso a Barcelos podia-se optar por um percurso alternativo de 47 km (Caminhos de Santiago) ou seguir pelo percurso principal de 60 km. Aqui a Raposa Jorge decidiu acompanhar dois dos alunos pelo percurso mais curto, uma vez que estes não resistiram à dureza do percurso. Já sem a Raposa Carlos Emigrante que, devido ao choque vitamínico, acelerou a cadência da pedalada, decidimos (Quinzé e Joca) juntantamente com um dos alunos (de seu nome Juliano) aquilo que viria a ser um percurso cheio de aventura e surpresas. Ao sermos os últimos a optar pelo percurso mais longo sujeitamo-nos a percorrer sozinhos o resto do percurso. E assim parecia ser.

Já numa descida espectacular, o campeão dos "ternos" (Quinzé), resolve cair e deitar mais um ao chão (Juliano), danificando as duas bikes. Sem ferramentas (à Raposa...) não nos era possível resolver os problemas mecânicos. Bem, tentámos seguir viagem como nos era possível. Foi então que nos apercebemos que não éramos os únicos ainda a pedalar. Vinham atrás mais dois "betetistas" com muita vontade mas com problemas mecânicos sem solução. Estes não eram Raposas e traziam ferramentas o que nos permitiu arranjar as bikes. Mais tarde, à maravilhosa HONDA do Juliano partiu-se a corrente e mais uma vez os dois "betetistas", Bruno e Marco, resolveram o problema. O Juliano seguiu viagem em 5ª velocidade uma vez que o seu desviador (a estrear!!!) não funcionava. E assim, com um espírito de "fairplay" e convívio, fizemos a jornada juntos, seguindo por pisos pouco rolantes, passando perto de Famalicão, pela antiga linha-férrea, até ao Monte da Saia.

Vencidas as dificuldades e chegados à Escola pelas 16 horas, tratou-se em primeiro lugar das nossas "meninas", lavando-as e colocando-as em lugar seguro. Só depois é que tratamos de nós com um banho (gostava de poder dizer de água quente...) e com uma boa feijoada.

2007/02/19, Quinzé

Passeio Inauguração BIKEZONE Barcelos, 11/02/2007

No Domingo, dia 11 de Fevereiro, a previsão metereológica apontava para um dia com chuva intensa. No entanto, 5 destemidas Raposas (Armindo, Joca, Jorge, Miguel Costa e Olavo) compareceram, como é hábito, pelas 9 horas da manhã na Casa do Café. Após um breve briefing sobre o percurso a seguir, optou-se pelo passeio organizado pela Bikezone de Barcelos, inaugurada com pompa e circunstância no dia anterior.


Acabados de chegar à respectiva loja, local de início e "terminus" do passeio, eis que começa a chover torrencialmente, dando razão à previsão do Instituto Nacional de Meteorologia e contrariando as previsões de uma Raposa, segundo a qual só chove da parte da tarde e à noite. Entretanto, chegou mais uma ilustre Raposa: nada mais nada menos que a Raposa-Mor, o Miguel.


Como o BTT é um desporto de Inverno e não de Verão, as Raposas e restantes participantes, talvez entre 30 a 40 (a chuva era tanta que não dava para os contar), fizeram-se aos trilhos. Como o percurso estava devidamente assinalado, permitiu que cada um seguisse o ritmo que mais lhe conviesse, ou melhor dizendo, o ritmo que as pernas permitiam.


O percurso de grau de dificuldade médio-baixo, com cerca de 23 km, seguia em direcção a V.F.S.Pedro, depois atravessou-se a estrada nacional nº103 em Mariz seguindo-se pelos bonitos trilhos junto ao Rio Cávado. Em Perelhal foi servido o reforço alimentar e regressou-se a Barcelos por Creixomil, Vilar do Monte (com trilhos igualmente bonitos) e V.F.S.Martinho.


À chegada, para os mais famintos, os organizadores tinham à disposição uma série de salgados e bolos para repor as calorias perdidas.


Ficámos à espera da próxima inauguração, não sendo própriamente obrigatório tratar-se de uma loja de bicicletas...


2007/02/14, Jorge Fernandes

1º Passeio BTT OX EXTUDANTX, 10/02/2007

Soube por um primo, na noite anterior, dia 9, da existência deste passeio promovido por alunos do curso de Artes da Escola Secundária Alcaides de Faria de Barcelos.

Sensível ao motivo pelo qual foi realizado (angariar dinheiro para uma visita final de curso), compareci pelas 14 horas no local combinado (terreno baldio em V.F.S.Pedro, Barcelos). Quando lá cheguei fiquei surpreendido pelo elevado número de "bikes", juntando-me rápidamente ao Costa, além de mim, única Raposa que se encontrava presente.

Não levava grande expectativa em relação a este passeio por estar consciente da necessidade de uma grande logística para a realização de um evento deste tipo. Todavia, a organização rápidamente mostrou que pretendia não deixar cair em esquecimento esta festa do BTT.

Os trilhos bem seleccionados e bem sinalizados (excepto junto às populações) proporcionaram aos participantes vários single tracks técnicos e com bonitas paisagens. Durante os apróximadamente 22 km do percurso deram sempre apoio aos betetistas com duas motos todo o terreno. Apesar da curta distância do percurso, os trilhos não estavam muito rolantes devido à chuva que provocou muita lama.

Deu-se por terminado o passeio junto ao campo de jogos de V.F.S.Pedro onde tínhamos um churrasco à nossa espera.

É caso para dizer que as Artes e Desporto é uma mistura bombástica!!!

Parabéns à organização!!!

2007/02/19, Quinzé